30 de nov de 2012

Zé Carlos, APAE, Denir Barulho e a outra Face.

A nossa querida APAE presta um grande serviço para família guairense há mais de trinta anos, e todos os Prefeitos que passaram pela administração pública deram sua contribuição ao longo dos anos. 

Ao logo da história política do município todos os gestores que passaram pela Prefeitura Municipal contribuíram para a evolução de nossa APAE, mas José Carlos quebrou essa hegemonia que foi galgada ao logo do tempo, não passando o terreno em sua totalidade para APAE. 

Desde que o Prefeito José Carlos assumiu a Prefeitura Municipal em 2009, de lá pra cá Zé Carlos tem travado uma quebra de braço com nossa APAE, infelizmente está aproximando o último mês de administração de Zé Carlos, e ele ainda não passou o terreno em sua totalidade para APAE, que necessidade daquele espaço para receber verbas dos governos Estadual e Federal. 

Sem a escritura do terreno, a nossa APAE fica impossibilitada de desenvolver um grande projeto, como a equoterapia, por exemplo, que pode ajudar na recuperação dos educandos que freqüentam diariamente as dependências da APAE. 

Ainda temos mais uma sessão ordinária na Casa de Leis esse ano, que ocorrerá no dia 11 de dezembro, será que dará tempo de Zé Carlos enviar o projeto para Câmara passando o terreno em sua totalidade para APAE e acabando de vez com essa quebra de braço? Vamos todos torcer para que Zé Carlos envie o projeto para Câmara Municipal no dia 11 de dezembro, que será a última sessão ordinária do ano.

 Se Zé Carlos não passar o terreno para APAE ainda esse ano, o ano quem vem vamos apostar nossas cartas no Vice Prefeito Denir Barulho, que foi esculachado e humilhado durante o pleito eleitoral desse ano, pela oposição, Denir apanhou da oposição e não reagiu aos ataques maldosos, durante os ataques raivosos, Denir Barulho deu-lhe a outra face para que a oposição batesse, em vez de reagir, no entanto, mostrou respeito à família guairense. 

É com esse sentimento humano que esperamos que Denir Barulho, ao assumir o Paço Municipal em 2013, possa ajudar a nossa APAE passando o terreno em sua totalidade, e realize o sonho da APAE que é equoterapia.

O efeito maléfico da imprensa.

Categoricamente a imprensa tem sido uma cobra venenosa, de vento em popa, a imprensa lança seu veneno, em um ato desesperado, ela a imprensa suja, ataca gestores públicos que não rezam seu jogo sujo. A imprensa foi domesticada para viver à custa da Prefeitura, no entanto, ela é cão de guarda dos políticos mal-intencionados, para proteger seus contratos ilícitos, a imprensa joga sujo, ela rebola e dança a ciranda da corrupção, o prazer é recíproco, entre a imprensa mercenário e o gestor corrupto. Eles se merecem! O trabalho da imprensa tem sido pautado em manipular e atacar os políticos que não atendem seu jogo sujo, uma imprensa sem escrúpulos, que posa de boa samaritana, mas é lobo na pele de cordeiro, ela é sem dúvida, um bichão mercenário. A imprensa sistematicamente tem manipula as informações a favor de seu grupo político, esse inolvidável fato, tem sido notório no convívio da comunidade menos favorecida, que diariamente tem seus direitos negado pela imprensa. A falta de ética da imprensa mercenária está estampado em seus jornalões sustentado com dinheiro público, diante das evidências da manipulação da imprensa, uma marco regulatório para pôr fim ao monopólio de algumas famílias que vive à custa do dinheiro público seria de grande importância. A manipulação perversa da imprensa parece não ter fim, quando adentramos Brasil a fora, lemos o terrorismo que os jornalões produzem: recentemente o caso mensalão e os ataques da imprensa ao Ex-Chefe Casa Civil, José Dirceu, que mesmo sem prova foi condenado na novela mensalão. A imprensa mequetrefe iniciou uma perseguição ao Ex-Chefe da Casa Civil, José Dirceu, para que ele fosse condenado no caso mensalão, o suposto candidato a presidente nas próximas eleições contra Dilma, Ministro Joaquim Barbosa, durante o processo do mensalão foi bajulado por essa mesma imprensa, que persegue José Dirceu.

 Lula e a imprensa 

 O seqüestro do empresário Abílio Diniz que ocorreu no dia 7 de dezembro de 1989, nesse mesmo ano, acontecia às eleições presidenciais, no qual o partido dos trabalhadores foi acusado injustamente pelo seqüestro. A cobertura do seqüestro e manipulação para caracterizar o envolvimento do Partido dos Trabalhadores no seqüestro, não faltou apoio da imprensa, para que tudo desse certo e garantisse a vitória de Fernando Collor de Mello, na época. Naquele ano, Lula perdeu as eleição para imprensa. Os seqüestradores disseram que foram torturados e obrigados pela polícia a vestir uma camisa da campanha de Lula, isso às vésperas das eleições, matéria vinculada nas primeiras páginas da imprensa golpista, ainda nas vésperas das eleições, os grandes Jornalões da época, afirmam que foi encontrado no cativeiro junto com os seqüestradores, material de campanha política do PT, percebe-se que houve uma manipulação pela imprensa, para estabelecer uma conexão entre o Partido dos Trabalhadores e os seqüestradores.

 Fernando Haddad e a imprensa 

 A imprensa tentou a todo custo eleger seu candidato sepultado José Serra a Prefeito de São Paulo, durante o pleito eleitoral a novela mensalão foi destaque nos jornalões; houve uma manipulação para tentar brindar José Serra e relacionar Fernando Haddad, com o mensalão.
 Estamos diante de um sistema covarde imposto pela manipulação da imprensa, se nada for feito, continuaremos sendo vítimas do efeito maléfico da imprensa.

29 de nov de 2012

Os escândalos fabricados pela mídia

Por José Dirceu, no seu blog:
Por várias vezes em anos recentes, a imprensa vinculou-me a escândalos que, depois de concluídas as investigações, denunciados os responsáveis e finalizados os inquéritos, comprovou-se que eu nada tinha a ver com tais episódios. Meu nome nem sequer figurou como testemunha nestes processos.

Foi assim pelo menos seis vezes: nos casos Celso Daniel; MSI-Corinthians; Eletronet; Operação Satiagraha; Carlos Alberto Bejani, ex-prefeito de Juiz de Fora (MG), do PTB; e Alberto Mourão, ex-prefeito de Praia Grande (SP), do PSDB.

Em alguns desses casos – como Bejani, Eletronet e Satiagraha –, meu nome foi parar no noticiário das TVs. Repito: encerradas as investigações, denunciados os responsáveis e finalizados os inquéritos, comprovou-se que eu nunca tive ligações com nada disso.

Agora, a história se repete


A partir de declarações de Cyonil Borges, ex-auditor do TCU sob investigação da Polícia Federal na Operação Porto Seguro, que apura denúncias relacionadas a Paulo Vieira (ex-diretor da Agência Nacional de Águas-ANA), de novo sou envolvido. Gratuitamente. Irresponsavelmente, como das outras vezes. As investigações ainda estão em curso e meu nome já é escandalosamente noticiado como relacionado ao caso.

Não custa recordar que Francisco Daniel, irmão do ex-prefeito assassinado de Santo André, Celso Daniel, fez o mesmo: acusou-me de beneficiário de esquema de corrupção que teria havido em Santo André. Quando o processei por calúnia, ele afirmou em juízo que ouvira de terceiros que eu era o destinatário de recursos financeiros ilegais para campanhas eleitorais do PT.

Francisco Daniel retratou-se, de forma cabal e indiscutível na Justiça. Mas isso praticamente não foi noticiado pela imprensa. E continua sem ser noticiado quando a mídia com frequência volta ao caso Celso Daniel. Ela repete a acusação que me foi feita por Francisco, sem registrar – ou fazendo-o sem o menor destaque – que ele se retratou.

Assim foi em todos os demais casos que lembrei. Envolvem meu nome no noticiário com o maior estardalhaço, mas encerrados a "temporada" e o sucesso midiático do escândalo, silenciam quanto ao fato de nada ter se provado contra mim – pelo contrário, as investigações terem concluído que eu não tive o menor envolvimento com o caso em pauta.

Boris Casoy: multa é uma vergonha!

Por Por Altamiro Borges, no seu blog
 
Na semana passada, a 8ª Câmara de Direito Privado de São Paulo condenou o jornalista Boris Casoy a pagar R$ 21 mil de indenização por danos morais ao gari Francisco Gabriel de Lima. A decisão foi festejada pelos que lutam contra as baixarias da televisão brasileira, mas muita gente também protestou e com razão. Afinal, a multa de R$ 21 é “uma vergonha” – para usar o famoso bordão do âncora da TV Bandeirantes. Além disso, o apresentador e a emissora ainda poderão recorrer contra a mísera multa.

"Do alto de suas vassouras"

Para quem tem memória curta, vale relembrar o triste episódio estrelado por um dos jornalistas mais reacionários da tevê nativa. Ao encerrar o Jornal da Band da noite de 31 de dezembro de 2009, dois garis de São Paulo apareceram desejando feliz ano novo ao povo brasileiro. Na sequência, sem perceber a falha técnica do vazamento do áudio, Boris Casoy fez um comentário asqueroso: “Que merda... Dois lixeiros desejando felicidades... do alto de suas vassouras... Dois lixeiros... O mais baixo da escala do trabalho”.

Na noite seguinte, o jornalista preconceituoso pediu desculpas meio a contragosto: “Ontem durante o programa eu disse uma frase infeliz que ofendeu os garis. Eu peço profundas desculpas aos garis e a todos os telespectadores”. Numa entrevista à Folha, porém, Boris Casoy mostrou que não se arrependera da frase e do seu pensamento elitista, mas sim do vazamento. “Foi um erro. Vazou, era intervalo e supostamente os microfones estavam desligados”.

A trajetória sinistra do direitista

Diante do ocorrido, os dois garis humilhados e o sindicato da categoria ingressaram na Justiça com processos exigindo retração pública e indenização por danos morais. Só agora, após três anos, Boris Casoy e a TV Bandeirantes foram condenados. Na Justiça, o âncora e a emissora alegaram que não houve a intenção de ofender o gari. Mas quem conhece a trajetória de Boris Casoy sabe que ele sempre teve posições elitistas e preconceituosas. Aqui cabe outro registro para refrescar a memória.
A história de Boris Casoy é das mais sombrias do jornalismo brasileiro. Ele sempre esteve vinculado a grupos de direita e manteve relações com políticos reacionários. Segundo artigo bombástico da revista Cruzeiro, em 1968, o então estudante do Mackenzie teria sido membro do Comando de Caça aos Comunistas (CCC), o grupo fascista que promoveu inúmeros atos terroristas durante a ditadura militar. Casoy nega a sua militância, mas vários historiadores e personagens do período confirmam a denúncia.

Serviçal da ditadura militar

Ainda em 1968, o direitista foi nomeado secretário de imprensa de Herbert Levy, então secretário de Agricultura do governo biônico de Abreu Sodré – em plena ditadura. Também foi assessor do ministro da Agricultura do general Garrastazu Médici na fase mais dura das torturas e mortes do regime militar. Em 1974, Casoy ingressou na Folha e, numa ascensão meteórica, foi promovido a editor-chefe do jornal de Octávio Frias, outro partidário do setor “linha dura” da ditadura. Como âncora de tevê, a sua carreira teve início no SBT, em 1988.

Na seqüência, Casoy foi apresentador do Jornal da Record durante oito anos, até ser demitido em dezembro de 2005. Ressentido, ele declarou à revista IstoÉ que “o governo pressionou a Record [para me demitir]... Foram várias pressões e a final foi do Zé Dirceu”. Na prática, a emissora não teve como sustentar seu discurso raivoso, que transformou o telejornal em palanque da oposição de direita, bombardeando sem piedade o presidente Lula no chamado “escândalo do mensalão”.

Em 2008, Casoy foi contratado pela TV Bandeirantes e manteve suas posições direitistas. Ele é um inimigo declarado dos movimentos grevistas e detesta o MST. Nunca esconde a sua visão elitista contra as políticas sociais dos governos Lula e Dilma e alinha-se sempre com as posições imperialistas dos EUA nas questões da política externa. O vazamento do vídeo em que ofende os garis confirma seu arraigado preconceito contra os trabalhadores. Com esta trajetória sinistra, a multa aplicada agora é realmente “uma vergonha”.

28 de nov de 2012

Sobre o Projeto de Zoneamento

A Sessão da Câmara Municipal na noite de ontem (27), foi marcada por um grande público, que compareceram para prestigiar o trabalho dos vereadores. Durante a sessão, o Projeto de Zoneamento foi deixado pra ser votado pela segunda vez pelos vereadores na próxima sessão ordinária junto com a equipe de transição. A participação da família guairense foi de suma importância, para que os vereadores recuassem e repensassem quanto a esse Projeto de Zoneamento.

27 de nov de 2012

Exclusivo – Notícia de Guaíra/SP

Guaíra precisa de um representante no Congresso Nacional.

Com a expressiva votação que levou Sérgio de Mello a vencer as eleições municipais deste ano, com quase 13 mil votos, a vitória foi incorporada com a importância do Vice Prefeito Denir Barulho, de origem humilde somou força durante a campanha, na escolha do eleitorado. 

Com o grande número de eleitorado favorável a Sérgio e Denir seria de grande importância termos um representando guairense no Congresso Nacional, para a evolução de nossa Guaíra.

A candidatura de Sérgio de Mello a Deputado Federal, no futuro, é um presente e um sonho a ser realizado pela família guairense, que carece de representante no Congresso Nacional, um feito histórico, a família guairense abraçaria a candidatura de um filho de Guaíra. 

O Vice Prefeito que é de origem humilde, que de engraxate transformou se em um empresário de sucesso - com a possível candidatura de Sérgio de Mello a Deputado Federal, o município só teria a ganhar, com a força política de Denir Barulho e a experiência empresarial, teremos uma Guaíra de grandes feitos. 

Com a presença de um filho de Guaíra no Congresso Nacional, a multiplicação de verbas e convênio empregado no desenvolvimento da cidade seria constante, priorizando áreas como saúde, educação, esporte, social, cultura e saneamento básico, tudo  seria manuseada aos olhos de Denir.

Terror em Gaza


Hoje ás 20h na Câmara Municipal - mais uma Sessão Ordinária.

Hoje ás 20h na Câmara Municipal, acontecerá mais uma Sessão Ordinária. Desde já convidamos toda população para assistir e prestigiar o trabalho dos vereadores. É muito importante a presença da população durante á Sessão, que poderá votar projetos que vão de encontro ao desenvolvimento da cidade.

23 de nov de 2012

Guairense é Campeão em Ribeirão Preto

Roberto Carlos Bertolino, conquista o primeiro lugar no circuito Corrida&Caminhada Contra o Câncer 2012 na cidade de Ribeirão Preto. 

O circuito Corrida&Caminhada Contra o Câncer é uma iniciativa que visa trazer recursos ao Hospital de Cânce r de Barretos assim como estimular a prática de esportes e de uma vida saudável. Ao se inscrever na Corrida & Caminhada Contra o Câncer os atletas colaboraram com uma causa nobre. 100% da verba de sua inscrição será revertida a projetos da ala infanto-juvenil do Hospital de Câncer de Barretos. A Prova aconteceu no último domingo, 11, com largada do Ribeirão Shopping e reuniu cerca de 3.000 atletas de diversas cidades da região. Mesmo com o calor e o percurso difícil, o corredor Roberto Carlos, conquistou o mais alto lugar no pódio na categoria 6 km - 40 a 44 anos, com o tempo impressionante de 26 minutos e 29 segundos. Roberto está em sua melhor forma desde que descobriu o diabetes e vem superando seus desafios com uma rotina associada à atividade física e dieta nutricional, ambas devidamente disciplinadas e acompanhada por profissionais da área. Aos 44 anos, Roberto é um exemplo a ser seguido pelos jovens atletas de Guaíra. Em Dezembro Roberto participará da Corrida Viva a Vida Savegnago, na cidade de Sertãozinho-SP, na categoria 10 km . Muito feliz com os resultados e preparado para as próximas competições Roberto faz questão de deixar um agradecimento especial a todas as pessoas que o incentivam: Sua família, a equipe da Academia Água Viva e especialmente ao seu Professor Alessandro Camilo que prepara todo o treinamento do atleta. 
Fonte: Facebook do Alessandro Camilo.

22 de nov de 2012

Asfalto no Bairro Palmares continua destruído.

A rua 24 no Bairro Palmares está totalmente destruída com buracos por todo lado - quem passa pela rua 24, se assusta ao ver o tamanho dos buracos no asfalto.

Cratera no Asfalto assusta moradores do Bairro Portal do Lago.

No Bairro Portal do Lago, na rua 02, com o asfalto destruído, uma cratera vem tirando o sossego dos moradores, o buraco é tão extenso que os moradores sofrem para transitar pela rua, quando chove é um caos! Os motoristas que transitam pela rua 02, encontram o asfalto em péssimas condições, eles precisam ter muito jogo de cintura ao transitar por essa rua. É preciso reduzir a velocidade, bruscamente para evitar acidentes ou danos aos veículos.

Prefeito Municipal investe em obras na entrada da cidade.

O Prefeito Municipal construiu um Portal gigantesco na entrada da cidade, que liga o centro e a prefeitura municipal, também investiu recursos públicos na remodelação dos canteiros, com vários tipos planta.

21 de nov de 2012

Crateras no asfalto viram problema no Bairro Jardim Eliza.

No Bairro Jardim Eliza, dezenas de crateras estão fazendo com que o trânsito fique comprometido, na Rua 40, causando sérios problemas as pessoas e os veículos que transitam pelo local – o Bairro está um caos em relação aos buracos nas Ruas. Os moradores que residem neste Bairro estão sofrendo com o excesso de buracos no asfalto. A omissão por parte dos Órgãos Fiscalizadores deixa os moradores do Bairro em uma situação complicada, no entanto, eles não sabem a quem recorrer.

20 de nov de 2012

Cresce a pressão das elétricas contra o governo

Por José Dirceu, em seu blog: 
 A cada dia fica mais evidente que as empresas concessionárias de energia elétrica estão mesmo dispostas a mover uma guerra ao governo contra o valor das indenizações das usinas e contra a baixa da tarifa determinada pelo governo Dilma Rousseff, de 16% para consumidores residenciais e de até 28% para industriais.

Na pressão que desencadeiam, elas alegam que as indenizações estão muito baixas - pelos cálculos delas deveriam ser de no mínimo R$ 31 bi e pelos cálculos do governo, será de 2/3 disso, de R$ 20 bi; e que as contas não podem baixar porque isso as descapitaliza, as faz perder valor de mercado e elas ficam sem condições de fazer os investimentos requeridos pelo setor.

Investimentos, aliás, que não fizeram nestes anos todos que detinham as concessões. Há alguns dias os jornais mostraram que há linha de transmissão no Brasil que não teve uma única reforma - investimento - nos últimos 15 anos.

Oposição e mídia atuam em dobradinha a favor das elétricas


Nestes pleitos as elétricas contam com inteiro e solidário apoio da imprensa que dá em manchetes que os investimentos no setor estão ameaçados. O Estadão, por exemplo, criticou o governo em seu principal editorial deste sábado: "Escuridão na política energética".

Agora a Companhia Energética de São Paulo(CESP), a Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) e a Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE), três empresas paulistas, decidiram questionar no Ministério de Minas e Energia (MME) as regras de renovação das concessõe

Vão pedir ao MME que revise o valor das indenizações e o critério de cálculo das tarifas de energia. Mas os especialistas na área antecipam que este é só 1º passo para as elétricas entrarem em seguida na Justiça, judicializarem o processo de concessões.

Aécio Neves veste a carapuça

A baixa da conta de luz no setor foi proposta  por Medida Provisória (MP) pela presidenta Dilma.
Na semana passada, muito discretamente como quase sempre é o seu estilo, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) admitiu que pode comandar as articulações para que a MP não seja aprovada.

O pretexto seria que a estatal mineira Companhia de Energia de Minas Gerais (CEMIG) poderia ser prejudicada pela ação do governo. Vejam, é a dobradinha oposição-mídia de novo. Fica cada vez mais evidente, então, que os jornais estão articulados principalmente com os governos tucanos de São Paulo e de Minas Gerais nessa pressão.

O senador Aécio agora colocou a carapuça: vai liderar a oposição a MP. Mas a questão é tão simples! Se sabiam que as concessões venciam e a amortização do capital investido terminava, como pretendiam continuar a cobrar uma tarifa que inclui o custo da amortização? Seria uma ilegalidade fragrante!

Racismo em shoppings e universidades


Por Raimundo Oliveira, Rede Brasil Atual:
 Nos últimos dez anos, com melhorias consistentes nos indicadores sociais no Brasil, os cidadãos mais pobres passaram a ter acesso a outros níveis de consumo, como em lojas de shopping, aeroportos, cinemas e universidades. No caso de cidadãos negros e pardos, para muitos isso significou também maior exposição à discriminação racial nos ambientes antes frequentados majoritariamente por pessoas brancas. Na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), já são 15 as denúncias de racismo em universidades, 12 registradas neste ano, quatro vezes mais que as três contabilizadas em 2011 – quando a Ouvidoria da Seppir passou a receber os relatos de discriminação –, afirma Carlos Alberto Silva Júnior, ouvidor da Seppir. Segundo ele, este aumento não está relacionado a manifestações contra a lei que garante metade das vagas nas universidades federais a negros, pardos e índios, desde que tenham cursado o ensino público, sancionada no final de agosto. “A lei é recente, e muitas situações ocorreram antes que ela foi sancionada. O que percebemos é que há, além da maior exposição de negros em situações de consumo antes pouco comuns por causa de condições financeiras, também maior percepção por parte destes cidadãos do que é preconceito racial”, diz. Daniel Teixeira, advogado e coordenador de projetos do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdade (CEERT), afirma que, neste ano, aumentou em cerca de 30% as denúncias de crimes raciais em situações de consumo registrados na entidade - que lida com casos de natureza racial e de intolerância religiosa, por exemplo. As denúncias relacionadas aos centros de compras lideram nos 25 casos acompanhados pelo CEERT desde janeiro e evidenciam que o preconceito ocorreu em função da cor da pele e não da classe social. “Em muitos casos, quando a pessoa é pobre, ela não consegue identificar direito se está sofrendo preconceito por ser negra ou por ser pobre e, muitas vezes, acaba relacionando tudo à pobreza”, afirma Teixeira. “Mas, quando estas pessoas conseguem melhorar sua situação financeira, percebem que não é mais por causa da pobreza que são discriminadas”, afirma. “Tem um caso emblemático de um músico que foi o único da banda a ser barrado em shopping de elite em São Paulo onde eles se apresentariam. Ele chegou de táxi e foi impedido de entrar pelos seguranças, alegando que o motivo era por estar com um instrumento. Mas os outros músicos, todos brancos, também estavam com seus instrumentos e nenhum foi barrado”, relata. Tanto para o advogado do CEERT como para o ouvidor da Seppir, a queda na desigualdade social registrada nos últimos dez anos no Brasil (que fez o índice Gini, usado pela ONU para medir a desigualdade, cair de 0,594 para 0,527 entre 2001 e 2011) beneficia a população de negros e pardos no país, historicamente relegadas às posições mais baixas da sociedade, e revela mais nitidamente as situações de preconceito. Para Silva Júnior, há uma discriminação histórica - como na lei de Imigração de 1890, que proibia a entrada de africanos, e na lei que criminaliza e legaliza a prisão por vadiagem logo após o fim da escravidão, quando a maior parte dos negros não tinha emprego formal algum -, mas há também o preconceito difuso. A secretária Nacional de Combate ao Racismo da CUT, Maria Júlia Reis Nogueira, acostumada a uma rotina de aeroportos por conta do trabalho, e dona de cartões de fidelidade que dão os maiores benefícios na compra de passagens, conta que já caiu na armadilha do preconceito difuso em situações de consumo. “Sempre viajo a trabalho, não me visto como uma madame, e percebi que em muitos locais quando entro na fila destinada aos portadores do meu cartão de fidelidade têm pessoas que me perguntam se estou na fila correta. No começo, ao perceber que esta atitude era em função da cor pele, respondia sempre que, se não tivesse o cartão, não estaria naquele lugar. Mas agora, quando me perguntam isto eu questiono a pessoa se está fazendo esta pergunta para todo mundo que está na fila, independente da cor da pele”, afirma.

17 de nov de 2012

Parceria por Guaíra

Prefeito Sérgio de Mello e seu vice Denir Ferreira dos Santos estiveram com o Deputado e Presidente Estadual do PMDB Baleia Rossi Aconteceu nesta última sexta-feira (09/11/2012) em Ribeirão Preto a reunião entre o prefeito eleito Sergio de Mello e seu vice Denir Ferreira dos Santos com o Deputado Estadual e Presidente Estadual do PMDB Baleia Rossi. Na reunião foi colocado em pauta a participação do PMDB no governo de Sérgio de Mello. Assim como no Governo Federal onde o PMDB do Vice-presidente Michel Temer trabalha em parceria com o PT da Presidenta Dilma Rousseff está melhorando o Brasil, esta parceria também vai melhorar ainda mais Guaíra.
Fonte: http://www.taokey.com.br

16 de nov de 2012

Cristina Kirchner e a Ley de Medios


“Deus seja louvado” soa melhor que “Deus não existe” na nota de Real?

Por Leonardo Sakamoto, em seu blog 

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão de São Paulo pediu que a Justiça Federal determine que as novas notas de reais a serem impressas venham sem a expressão “Deus seja louvado”.

De acordo com o MPF, o Banco Central (responsável pelo conteúdo das notas) informou que o fundamento legal para a inserção da expressão “Deus seja louvado” nas cédulas é o preâmbulo da Constituição, que afirma que ela foi promulgada “sob a proteção de Deus”. Depois, teria permanecido por uma questão de tradição.

O procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jefferson Aparecido Dias, lembrou – em nota divulgada pelo MPF – que não existe lei autorizando a inclusão da expressão nas cédulas. “Quando o Estado ostenta um símbolo religioso ou adota uma expressão verbal em sua moeda, declara sua predileção pela religião que o símbolo ou a frase representam, o que resulta na discriminação das demais religiões professadas no Brasil”.



Um trecho da acão civil pública exemplifica bem isso: “Imaginemos a cédula de real com as seguintes expressões: ‘Alá seja louvado’, ‘Buda seja louvado’, ‘Salve Oxossi’, ‘Salve Lord Ganesha’, ‘Deus Não existe’. Com certeza haveria agitação na sociedade brasileira em razão do constrangimento sofrido pelos cidadãos crentes em Deus”.

A França retirou os símbolos religiosos de sedes de governos, tribunais e escolas públicas no final do século 19. Nossa primeira Constituição republicana já contemplava a separação entre Estado e Igreja, mas estamos 120 anos atrasados em cumprir a promessas dos legisladores de então.

Em janeiro de 2010, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou uma nota em que rejeitou “a criação de ‘mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos da União’, pois considera que tal medida intolerante pretende ignorar nossas raízes históricas”.

Adoro quando alguém apela para as “raízes históricas” para discutir algo. Como aqui já disse, a escravidão está em nossas raízes históricas. A sociedade patriarcal está em nossas raízes históricas. A desigualdade social estrutural está em nossas raízes históricas. A exploração irracional dos recursos naturais está em nossas raízes históricas. A submissão da mulher como mera reprodutora e objeto sexual está em nossas raízes históricas. As decisões de Estado serem tomadas por meia dúzia de iluminados ignorando a participação popular estão em nossas raízes históricas. Lavar a honra com sangue está em nossas raízes históricas. Caçar índios no mato está em nossas raízes históricas. E isso para falar apenas de Brasil. Até porque queimar pessoas por intolerância de pensamento está nas raízes históricas de muita gente.

Quando o ser humano consegue caminhar a ponto de ver no horizonte a possibilidade de se livrar das amarras de suas “raízes históricas”, obtendo a liberdade para acreditar ou não, fazer ou não fazer, ser o que quiser ser, instituições importantes trazem justificativas para manter tudo como está.

Como foi noticiado neste blog na época, o Ministério Público do Piauí solicitou, em 2009, a retirada de símbolos religiosos dos prédios públicos, atendendo a uma representação feita por entidades da sociedade civil e, no mesmo ano, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro mandou recolher os crucifixos que adornavam o prédio e converteu a capela católica em local de culto ecumênico. Algumas dessas ações têm vida curta, mas o que importa é que percebe-se um processo em defesa de um Estado que proteja e acolha todas as religiões, mas não seja atrelado a nenhuma delas.
É necessário que se retirem adornos e referência religiosas de edifícios públicos, como o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional. Não é porque o país tem uma maioria de católicos que espíritas, judeus, muçulmanos, enfim, minorias, precisem aceitar um crucifixo em um espaço do Estado. Ou uma oração em sua moeda.

E, o mais relevante: as denominações cristãs são parte interessada em polêmicas judiciais, como pesquisas com célula-tronco ao direito ao aborto. Se esses elementos estão presentes nos locais onde são tomadas as decisões, como garantir que as decisões serão isentas? O Estado deve garantir que todas as religiões tenham liberdade para exercer seus cultos, tenham seus templos, igrejas e terreiros e ostentem seus símbolos. Mas não pode se envolver, positiva ou negativamente, para promover nenhuma delas.

E não sou eu quem diz isso. Em Mateus, capítulo 22, versículo 21, o livro sagrado do cristianismo deixa bem claro o que o pessoal de hoje quer fazer de conta que não entende: “Dai, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus”.

Estado é Estado. Religião é religião. Simples assim.
É um debate pequeno? Nem de longe, pois é simbólico. E, portanto, estruturante. De quem somos nós e o que limita nossas liberdades.

Clique aqui para ler a íntegra da ACP 00119890-16.2012.4.03.6100.

13 de nov de 2012

Sergio Mello e Denir participam de reuniões da Caixa e do COMAM

No último dia 6, o prefeito eleito, Sergio de Mello, e seu vice, Denir Ferreira dos Santos, estiveram presentes em evento promovido pela Caixa Econômica Federal com os prefeitos eleitos da região. A reunião aconteceu na cidade de São José do Rio Preto.

O principal tema de discussão foi o gerenciamento de convênios e contratos. Na ocasião foram entregues a relação de convênios vigentes entre Prefeitura Municipal e Governo Federal. Outros dois pontos abordados foram o programa “Minha Casa, Minha Vida” e Programa de Aceleração do Crescimento – PAC.
Após o evento Sergio e Denir se reuniram com o Superintendente Regional da Caixa, Clayton Rosa Carneiro, com o objetivo de tratar de capacitação das equipes para elaboração de projetos e acompanhamento de convênios. REUNIÃO COMAM No dia 7 de Outubro Sergio e Denir também estiveram presentes em reunião do Consórcio de Municípios da Alta Mogiana – COMAMN. A atividade com os prefeitos eleitos da região foi realizada na cidade de Franca.

 Na reunião foram apresentadas orientações para os novos gestores na prestação de contas, nos instrumentos de planejamento e gestão financeira e nos planos municipais que precisam ser construídos nos próximos anos. Na oportunidade também foi apresentado pela empresa de consultoria Triani orientações sobre os investimentos na Educação.

 Sergio e Denir ainda conversaram sobre novos projetos para a cidade com os diretores da COMAM e com representantes do SEBRAE.

 RECURSOS PARA GUAÍRA
 De acordo com estimativas do COMAM e da Confederação Nacional dos Municípios, com a sanção do projeto aprovado na Câmara que trata da redistribuição dos royalties do petróleo, Guaíra passará a receber mais recursos no Fundo de Participação dos Municípios. A expectativa é que o repasse seja da ordem de R$ 892.118,00.

Fonte: http://www.taokey.com.br/sergio-mello-e-denir.html

12 de nov de 2012

INJUSTA SENTENÇA

Por José Dirceu, em seu blog 

 Dediquei minha vida ao Brasil, à luta pela democracia e ao PT. Na ditadura, quando nos opusemos colocando em risco a própria vida, fui preso e condenado. Banido do país, tive minha nacionalidade cassada, mas continuei lutando e voltei ao país clandestinamente para manter nossa luta. Reconquistada a democracia, nunca fui investigado ou processado. Entrei e saí do governo sem patrimônio. Nunca pratiquei nenhum ato ilícito ou ilegal como dirigente do PT, parlamentar ou ministro de Estado. Fui cassado pela Câmara dos Deputados e, agora, condenado pelo Supremo Tribunal Federal sem provas porque sou inocente. A pena de 10 anos e 10 meses que a suprema corte me impôs só agrava a infâmia e a ignomínia de todo esse processo, que recorreu a recursos jurídicos que violam abertamente nossa Constituição e o Estado Democrático de Direito, como a teoria do domínio do fato, a condenação sem ato de ofício, o desprezo à presunção de inocência e o abandono de jurisprudência que beneficia os réus. Um julgamento realizado sob a pressão da mídia e marcado para coincidir com o período eleitoral na vã esperança de derrotar o PT e seus candidatos. Um julgamento que ainda não acabou. Não só porque temos o direito aos recursos previstos na legislação, mas também porque temos o direito sagrado de provar nossa inocência. Não me calarei e não me conformo com a injusta sentença que me foi imposta. Vou lutar mesmo cumprindo pena. Devo isso a todos os que acreditaram e ao meu lado lutaram nos últimos 45 anos, me apoiaram e foram solidários nesses últimos duros anos na certeza de minha inocência e na comunhão dos mesmos ideais e sonhos. 
 José Dirceu

Hoje na Câmara Municipal será discutido o Projeto de Zoneamento Urbano


Hoje na Câmara Municipal às 17:00hs será discutido o Projeto de Zoneamento Urbano, que é de interesse de toda comunidade, é muito importante que a comunidade compareça à Câmara Municipal para assistir de perto a mais está discussão sobre Zoneamento. A cidade convive com um déficit habitacional que assola o município nestes últimos quatros anos, porém é de suma importância a presença da comunidade, para o futuro do município. Apenas deixamos uma crítica construtiva para os nobres vereadores, que esta audiência deveria ter sido no período noturno, onde a maioria das pessoas poderiam participar, já que neste horário grande parte das pessoas trabalham.

Zé Carlos deixe seu orgulho de lado, seja humilde e implante a Internet Gratuita na Periferia da cidade.



A Internet Gratuita é um sonho de toda cidade poder implantá-la e atender os anseios de seus munícipes -  em nossa cidade, foi implantado dois pontos de Internet Gratuita, um na Praça São Sebastião e um ponto na Casa de Cultura Professor João Augusto de Mello, como podemos observar, a comunidade periférica ficou sem ter acesso a Internet Gratuita, nestes quase quatro anos de Governo de Zé Carlos.
 
Entretanto, para elucidar melhor esta questão dos dois pontos de Internet Gratuita implantada no centro da cidade, os munícipes que quisessem ter acesso a rede, eles precisariam comprar  um smartphone, tablet ou  notebook, para poder acessar a rede na proximidade da região que está os pontos da rede de Internet Gratuita.
 
Enquanto os moradores do centro da cidade desfrutam da implantação da Internet Gratuita, os moradores da periferia esperam que o Prefeito Zé Carlos seja justo e implante a rede de Internet Gratuita também na periferia da cidade, e cumpra com seu compromisso de campanha.
 
A internet Gratuita foi um sonho estampado no plano de governo de Zé Carlos, em 2008, e reforçado nas palavras do atual Chefe de Gabinete, porém, a Prefeitura trabalho este ano com um robusto orçamento de aproximadamente R$ 120 Milhões.
 
Não é porque Zé Carlos perdeu as eleições que ele irá esquecer de seu compromisso com a população periférica, é muito importante que Zé Carlos deixe seu orgulho de lado, seja humilde e atenda os anseios da comunidade que necessita da Internet Gratuita.
  

"Mensalão não existiu", afirma jornalista Raimundo Pereira


9 de nov de 2012

O Vice Prefeito Eleito terá um papel muito importante na administração pública, nunca antes na história do município, já em 2013.

Depois de ser esculachado e humilhado durante a campanha, o Vice Prefeito Eleito Denir Barulho, com sua experiência empresarial,  será  a peça chave para colocar novamente o município nos trilhos.

Na ausência do Prefeito, o Vice Prefeito Denir Barulho deverá assumir o Paço Municipal e, com sua experiência empresarial e sua força política, no entanto, o município deverá passar por grandes mudanças.

Após ser vítima de vários ataques raivosos da oposição,  durante o período eleitoral o Vice Prefeito Denir Barulho deverá receber o mesmo carinho que recebeu da família guairense quando foi sistematicamente atacado pela oposição raivosa.

A responsabilidade de assumir o Paço Municipal na ausência do Prefeito deve  ser incorporado ao conhecimento empresarial do Vice Prefeito Denir Barulho com sua experiência empresarial  deverá sanar as questões que afligiram o município nesses últimos quatro anos,  o Vice Prefeito será um elo entre o povo e o desenvolvimento da cidade.

Com a ajuda da família guairense,  o Vice Prefeito será dinâmico, diferente de outros  Vice Prefeitos,  que  não teve função nos governos anteriores, o desenvolvimento do município deverá ser umas das metas a ser alçada pelo Vice Prefeito Denir Barulho.

Com sua força política e a experiência empresária que levou um menino engraxate a empresário de sucesso, ao ver a cidade em pleno desenvolvimento, a  oposição que atacou o Vice Prefeito durante o pleito eleitoral,  não medirá esforços para atacá-lo novamente.

Exclusivo Notícia de Guaíra-SP: Projeto de Zoneamento Urbano será discutido na próxima segunda-feira (12)

8 de nov de 2012

A hora é essa!

 Blog DoLaDoDeLá -  Por Marcos Aurélio Mello

 Privilegiado, tomei café esta tarde com o Azenha (Vi o Mundo) e o Rodrigo (Escrevinhador), e chegamos à conclusão de que desta vez o PIG - Partido da Imprensa Golpista - atravessou a linha divisória entre a crítica jornalistica e a ação golpista escancarada. O confronto está em campo aberto e, apesar da perspectiva do planalto de que, passada a disputa eleitoral o clima voltará a ficar ameno e seco, concluímos que é um caminho sem volta: Globo, Abril e Folha (os outros não contam, porque são pequenos e não agem tão ostensivamente) não podem mais recuar. Agora, para eles é o tudo ou nada! Com perda crescente de influência política, vão abusar do poder econômico, da mentira e da dissimulação para falsear a realidade. Não por acaso começa a aumentar na sociedade o volume dos que clamam pelo cumprimento da regulamentação existente e pedem um novo marco regulatório que possa - a exemplo da Argentina - pulverizar a produção de conteúdo e desconcentrar os meios hoje nas mãos de poucos. Esta tendência tem crescido entre os partidos da base governista. No entanto, as resistências são enormes dentro do próprio Partido dos Trabalhadores. Há uma turma - alguns com poder de decisão - que acha que pode levar a imprensa em banho maria. Discordo. Não haverá trégua. A questão não é mais financeira, é ideológica! O Governo não sairá das cordas até 2014, inclui-se aí o ex-presidente Lula, a atual presidente, Dilma, e todos que direta ou indiretamente tem peso político. Mas este debate tem que ir a campo. É necessária uma campanha oficial de conscientização pública sobre os direitos e deveres da mídia. É necessário explicar como funcionam os incentivos, as renúncias fiscais e a distribuição do bolo publicitário oficial. As pessoas querem entender melhor e opinar. Nem que seja por meio de um projeto de consulta popular. Precisamos avançar na questão das comunicações urgentemente. A hora é essa!

O que justifica?

Por José Dirceu, em seu blog

A decisão do relator Joaquim Barbosa de apreender os passaportes dos réus da Ação Penal 470 é puro populismo jurídico e uma séria violação aos direitos dos réus ainda não condenados, uma vez que o julgamento não acabou e a sentença não transitou em julgado. Cabem recursos mesmo após a publicação do acórdão. Mostra-se também exagerada porque todos os réus estão presentes por meio de seus advogados legalmente constituídos e em nenhum momento obstruíram ou deixaram de atender as exigências legais. Mas o mais grave são os argumentos para tal decisão, alegando que os réus adotaram comportamento incompatível e desrespeitoso com o Supremo. O ministro sustenta o pedido de recolhimento dos passaportes porque dois réus - antes de serem condenados - viajaram para o exterior e voltaram normalmente. Afirmou ainda em seu despacho que alguns réus “deram a impressão de serem pessoas fora do alcance da lei” com atitudes que afrontariam o Supremo Tribunal Federal. Ou seja, os argumentos cerceiam a liberdade de expressão e são uma tentativa de constranger e censurar, como se os réus não pudessem se defender e, mesmo condenados, continuarem a luta pela revisão de suas sentenças. É importante ressaltar que eu nunca me manifestei sobre o mérito dos votos dos ministros ou sobre a legitimidade e o respeito à corte. Sempre respeitei as decisões do Supremo Tribunal Federal, uma vez que lutei pela nossa democracia, mesmo com risco à minha própria vida. Nada vai me impedir de me defender em todos os foros jurídicos e instituições políticas. Mesmo condenado e apenado, não abro mão de meus direitos e garantias individuais - do direito de me expressar e contraditar o julgamento e minha condenação. Nenhum ministro encarna o Poder Judiciário - não estamos no absolutismo real. Nenhum ministro encarna a nação ou o povo - não estamos numa ditadura. Mesmo acatando a decisão, tenho o direito de me expressar diante de uma tentativa de intimidar os réus, cercear o direito de defesa e expor os demais ministros ao clamor popular instigado, via holofotes de certa mídia, nestes quase quatro meses de julgamento.
 José Dirceu Oliveira e Silva

Segue nota do meu advogado de defesa: Decisões judiciais devem ser respeitadas e cumpridas, mas isso não quer dizer que não podem ser contestadas, quer pelo acusado, quer pela defesa técnica. Criticar uma decisão, não significa desrespeitar o Poder Judiciário. Vivemos em um país livre, numa democracia, onde a liberdade de expressão é a regra e faz parte do Estado Democrático de Direito. O passaporte do meu cliente será entregue hoje.
José Luis Oliveira Lima

6 de nov de 2012

PAT – POSTO DE ATENDIMENTO AO TRABALHADOR – VAGAS DE EMPREGO

Mecânico de máquinas agrícolas – 01 vaga
Com experiência
Sexo masculino

Promotor de vendas – 01 vaga
Ensino médio completo
Ambos os sexos

Balanceiro– 02 vagas
Ambos os sexos
Ensino médio completo
Habilidades em computador

Serviços gerais- 05 vagas
Ensino fundamental completo
Sexo masculino
Acima de 18 anos

Classificador de grãos – 01 vaga
Técnico em agricultura
Ambos os sexos

Recepcionista – 01 vaga
Sexo feminino
Ensino médio completo
Acima de 18 anos

Vendedor interno – 01 vaga
Ensino médio completo
Acima de 18 anos
Ambos os sexos

Lavadeira/passadeira – 01 vaga
Sexo feminino
Com experiência e referências

Porteiro de Hotel- 01 vaga
Sexo masculino
Habilidades em computador.
Trabalho noturno
Folga aos domingos

Operador de empilhadeira-02 vagas
Sexo masculino
Necessário possuir curso

Operador de retro-escavadeira-01 vaga
Sexo masculino
Necessário possuir  curso


Os interessados nas vagas e em obter mais detalhes sobre as mesmas deverão ir até o  PAT,  à rua 8 nº 500, esquina da Avenida 9, levando Carteira de Trabalho, PIS, RG e CPF. A partir das 13:00 horas. 
Fonte: http://www.taokey.com.br/vagas-de-emprego-2.html